Camilo visto por Bernardino Machado II

“Camilo foi um dos meus grandes mestres. Ele, Júlio Diniz e Eça de Queirós fizeram-nos sucessivamente a história emocional da vida íntima do constitucionalismo, desde as suas crises de formação aos culminantes momentos do seu equilíbrio moral e daí até a sua final decomposição. A política não se compreende sem as letras.”

Bernardino Machado

In: Marques, A.H. de Oliveira e  Costa, Fernando Marques da. (1978). Bernardino Machado. Lisboa:  Edições Montanha.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: