Uma queda para a felicidade

Muitas são as facetas da personalidade literária de Camilo Castelo Branco, que publicou mais de uma centena de volumes e foi uma figura central do Romantismo português. Poeta, polemista, pesquisador de documentos antigos, foi porém como novelista que se celebrizou. Na obra novelística de Camilo, o veio mais conhecido é o da novela de amor... Continue Reading →

Anúncios

Ópera “Lucrécia Borgia”

"Como à força, fora ele uma noite ao teatro lírico, em companhia do abade de Estevães, que amava a música pelo muito amor que tinha à guitarra, delícias da sua mocidade, e consoladora da velhice, já saudosa do tempo em que o coração lhe gemia nos bordões do instrumento apaixonado. Calisto inteirou-se do enredo da ópera, e... Continue Reading →

Duas enfermidades

"Duas enfermidades há aí cujos sintomas não descobrem as pessoas inexpertas; uma é o amor, a outra é a ténia. Os sintomas do amor, em muitos indivíduos enfermos, confundem-se com os sintomas do idiotismo. É mister muito acume de vista e longa práctica para descriminá-los. Passa o mesmo com a ténia, lombriga por excelência. O aspecto mórbido das... Continue Reading →

Engarrafar lirismo

"Era já pleno estio. Os galans mais hardidos de Lisboa estanceavam por Sitiaes, por Pisões, e por aquellas varzeas de Collares, a engarrafar lyrismo para gastarem por salas nas noites de inverno." Camilo Castelo Branco In A queda de um anjo : romance. Lisboa : Livraria de Campos Junior, 1866. - 268, [4] p. ;... Continue Reading →

A Queda de um Anjo

Calisto Elói, morgado de Agra de Freimas, vive numa pequena aldeia, de seu nome Caçarelhos, em perfeita harmonia com a sua esposa, D. Teodora de Figueiroa. O conhecimento dos clássicos, aos quais dedicou as leituras de toda uma vida, encheu-o de uma sabedoria moralista e conservadora que faz com que seja eleito deputado pelo círculo de Miranda. A sua presença... Continue Reading →

Sete abismos

Calisto Elói de Silos e Benevides de Barbuda queria que se venerasse o passado, a moral antiga como o monumento antigo, as leis de João das Regras e Martim de Océm, como o Mosteiro da Batalha, as Ordenações Manuelinas como o Convento dos Jerónimos. (…) O orador: - (…) Lastimo este luxo que vejo em... Continue Reading →

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: