Camilo e a Praia de Âncora (1880-1882)

Apesar de ter sido a estreita amizade que Camilo Castelo Branco (1825-1890) manteve com a família Barbosa e Silva, de Viana do Castelo, a razão maior da sua ligação a terras do Alto Minho — também ao concelho de Caminha, como se evidenciou em crónica anterior — nem por isso deixou o grande escritor de... Continue Reading →

Anúncios

Amor infinito

Da mulher o que nos comove e enleva é a parte impoluta que ela tem do céu; é a magia que a fada exercita obedecendo a interno impulso, não sabido dela, não sabido de nós. Ali há mensagem de outras regiões; aqui, no peito arquejante, nos olhos amarados de gozozas lágrimas, há um espirar para... Continue Reading →

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 18 abril

Lugar de Memória Camiliana No próximo dia 18 de Abril celebra-se o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, que foi instituído em 1982 pelo ICOMOS e aprovado pela UNESCO no ano seguinte. A partir de então, esta data comemorativa tem vindo a oferecer a oportunidade de aumentar a consciência pública relativamente à diversidade do património e... Continue Reading →

Conferência | Refigurando as relações, pessoais e literárias, entre dois escritores românticos: Júlio Dinis e Camilo Castelo Branco

II CONGRESSO O PORTO ROMÂNTICO 11 e 12 de Abril de 2014 Universidade Católica do Porto Dia 11 de Abril de 2014 (sexta-feira: tarde) 17.20-17.40 – Carmen Matos Abreu Refigurando as relações, pessoais e literárias, entre dois escritores românticos: Júlio Dinis e Camilo Castelo Branco cartaz

Congresso “Camilo Castelo Branco, Machado de Assis e as relações luso-brasileiras”

Universidade do Minho | Auditório do ILCH, campus de Gualtar, Braga, terça-feira, 08-04-2014 Iniciativa do CEHUM com oradores das universidades de Lyon II (França), São Paulo, Federal do Paraná (Brasil), Ohio (EUA) e Minho, entre outros O Congresso "Camilo Castelo Branco, Machado de Assis e as relações luso-brasileiras" decorre a 8 de abril de 2014 na Universidade do Minho.... Continue Reading →

Dilúvio do ano 2000

"O dilúvio, que afogou a Europa no ano 2000, foi necessário e providencial: tanta era a corrupção daqueles povos!" (Um filósofo asiático que há-de escrever no ano 3521) dedicatória no livro "Mistérios de Fafe: romance social" Camilo Castelo Branco

Honoré de Balzac e Camilo Castelo Branco: a crítica social oitocentista em perspectiva comparada

Tese de Doutoramento de Ana Luísa Patricio Campos de Oliveira Lenk Catelani Resumo Como sabemos, as reflexões do filósofo político e contratualista Jean-Jacques Rousseau tornaram-se referência para muitos escritores que o sucederam, principalmente no que concerne às suas considerações a propósito da vida em sociedade, ambiente vil que degenera o homem, ser bom e piedoso por... Continue Reading →

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: